Posted 11 August 2014, 1 month ago | 251,277 notes | reblog this post
(originally cocolobocomics / via tomorrowwworld)

Posted 7 July 2014, 2 months ago | 198,247 notes | reblog this post
(originally sparkyydog / via 18-5)

Posted 7 July 2014, 2 months ago | 250,235 notes | reblog this post
(originally watchfashionista / via exxtrabeat)

Posted 7 July 2014, 2 months ago | 233,630 notes | reblog this post
(originally oryctolaguscunciculus / via yelled)

I’m one hundred and sixty-two years old and I’m going to a homecoming dance. I need better ties.

Posted 28 June 2014, 2 months ago | 3,435 notes | reblog this post
(originally ianslooch / via soulnder)

Posted 28 June 2014, 2 months ago | 69,377 notes | reblog this post
(originally embriagado / via querido--john)

Escrevo também para saber como foi o seu dia – se você chorou esta manhã, se você acordou um pouco mais tarde do que o costume, ou se, mais cedo, você fumou um maço inteiro tentando se acalmar e esquecer por um breve momento as confissões e as confusões do seu mundo, como de costume. Escrevo também para saber como foi a sua noite – se você conseguiu dormir e sonhar e me ver, por pouco tempo que seja, nessas imagens pensadas, nessas imagens prensadas e intocáveis, tocadas apenas pela capacidade de sonhar, mas que ao despertarem serão apenas o que são: lembranças sonhadas. Escrevo ainda para saber quais são os seus medos e a quem você assusta, quais são os seus desejos e por quem você se ajoelha, quais são suas verdades e a quem você se permite mentir. E, como se não bastasse, escrevo para saber se você me encaixa no seu tempo, mesmo sabendo que o amor é um temporal atemporal que faz chover e tremer e molhar e, mesmo assim, os esperançosos amantes conseguem enxergar – talvez pela cegueira momentânea das pequenas paixões, talvez pela esperança eterna de um dia acordarem ao lado de um grande amor – um sol quente e amarelo e belo e denso, imenso.
~ Eu me chamo Antônio. (via querido—john)

Posted 28 June 2014, 2 months ago | 7,221 notes | reblog this post
(originally palavrisses / via querido--john)

Posted 28 June 2014, 2 months ago | 4,560 notes | reblog this post
(originally estilo-instagram / via soulnder)

Acredite, até mesmo aqueles que te partiram ao meio também foram partidos em algum momento de suas vidas. E todos nós partiremos e seremos partidos em milhares de pedacinhos todos os dias, semanas, meses e anos. Erramos querendo amar, amamos na tentativa de não acabarmos sozinhos. Mas entre nós: viemos ao mundo sozinhos e sairemos dele sozinhos. Não importa quanto ame alguém, não importa quantos corações você tenha quebrado em sua jornada em busca do cara ou garota que te completará, porque quando achar que encontrou, no final ainda serão só dois corpos tentando de alguma forma curar o que não tem cura. Somos solitários demais e não há como vencer a solidão, apenas engana-la por um curto período.
~ Os porquês de Amélia Roswell.   (via doistonsdeamor)

Posted 28 June 2014, 2 months ago | 1,790 notes | reblog this post
(originally animicida / via gamewithwords)

É a possibilidade que me faz continuar, não a certeza, uma espécie de aposta da minha parte. E embora você possa me chamar de sonhador, de tolo, ou de qualquer outra coisa, acredito que tudo é possível.
~ Diário de Uma Paixão.   (via delator)

Posted 28 June 2014, 2 months ago | 11,232 notes | reblog this post
(originally deixa-o-vento-soprar / via gamewithwords)