Posted 24 September 2014, 6 days ago | 160,330 notes | reblog this post
(originally foreverandevergone / via sheisthunderstormss)

Amar em paz exige um coração desarmado.
~ Eu me chamo Antônio.    (via oxigenios)

Posted 24 September 2014, 6 days ago | 8,765 notes | reblog this post
(originally motoshima / via enl0uquece-r)

Posted 11 August 2014, 1 month ago | 253,896 notes | reblog this post
(originally cocolobocomics / via tomorrowwworld)

Posted 7 July 2014, 2 months ago | 211,966 notes | reblog this post
(originally sparkyydog / via 18-5)

Posted 7 July 2014, 2 months ago | 250,841 notes | reblog this post
(originally watchfashionista / via exxtrabeat)

Posted 7 July 2014, 2 months ago | 235,345 notes | reblog this post
(originally oryctolaguscunciculus / via yelled)

I’m one hundred and sixty-two years old and I’m going to a homecoming dance. I need better ties.

Posted 28 June 2014, 3 months ago | 3,434 notes | reblog this post
(originally ianslooch / via soulnder)

Posted 28 June 2014, 3 months ago | 69,419 notes | reblog this post
(originally embriagado / via querido--john)

Escrevo também para saber como foi o seu dia – se você chorou esta manhã, se você acordou um pouco mais tarde do que o costume, ou se, mais cedo, você fumou um maço inteiro tentando se acalmar e esquecer por um breve momento as confissões e as confusões do seu mundo, como de costume. Escrevo também para saber como foi a sua noite – se você conseguiu dormir e sonhar e me ver, por pouco tempo que seja, nessas imagens pensadas, nessas imagens prensadas e intocáveis, tocadas apenas pela capacidade de sonhar, mas que ao despertarem serão apenas o que são: lembranças sonhadas. Escrevo ainda para saber quais são os seus medos e a quem você assusta, quais são os seus desejos e por quem você se ajoelha, quais são suas verdades e a quem você se permite mentir. E, como se não bastasse, escrevo para saber se você me encaixa no seu tempo, mesmo sabendo que o amor é um temporal atemporal que faz chover e tremer e molhar e, mesmo assim, os esperançosos amantes conseguem enxergar – talvez pela cegueira momentânea das pequenas paixões, talvez pela esperança eterna de um dia acordarem ao lado de um grande amor – um sol quente e amarelo e belo e denso, imenso.
~ Eu me chamo Antônio. (via querido—john)

Posted 28 June 2014, 3 months ago | 7,232 notes | reblog this post
(originally palavrisses / via querido--john)

Posted 28 June 2014, 3 months ago | 4,561 notes | reblog this post
(originally estilo-instagram / via soulnder)